Figueirense FC - Site Oficial
Náutico

x

Figueirense
Campeonato Brasileiro -  
14/07/24 -  
Estádio dos Aflitos

A todos os torcedores do Figueirense, associados, imprensa e demais interessados.

A diretoria administrativa do Figueirense, com imensa satisfação, informa que, na data de hoje, aproximadamente às 19h00, o Plano de Recuperação Extrajudicial do Figueirense Futebol Clube e da Figueirense Futebol Clube Ltda. foi homologado pelo Juízo da Vara Regional de Recuperações Judiciais, Falências e Concordatas da Comarca de Florianópolis/SC.

No ano do seu centenário, o Figueirense dá demonstrações de que o trabalho sério dá resultados e de que está pronto para as próximas batalhas.

É o desfecho exitoso de um projeto que começou ainda em meados de 2020, quando a diretoria do Figueirense contratou a Alvarez & Marsal, consultoria de reputação internacional, para realizar um diagnóstico da situação financeira do clube. A partir daí, foram meses de constantes interações, reuniões, revisões de contratos e auditorias. Graças ao trabalho desenvolvido neste período inicial, a diretoria pôde compreender a exata situação financeira do Figueirense, o que era absolutamente imprescindível para que pudesse programar os passos seguintes. Era a primeira etapa do projeto de restruturação do clube.

De acordo com Leonardo Coelho, sócio-diretor da consultoria Alvarez & Marsal: “Iniciamos o projeto de soerguimento do Figueirense há pouco mais de um ano. A primeira fase do projeto foi um diagnóstico da situação financeira do clube, em seguida desenhamos cenários junto aos executivos e um plano de ação de como iríamos tratar a geração operacional de caixa e as alternativas para a equalização do alto endividamento encontrado. Foram considerados diferentes cenários: acesso a Série A, permanência na Série B e a queda do Clube para a Série C, o que possibilitou uma rápida readequação dos custos e despesas quando a projeção virou uma realidade para o Figueirense.

No entanto, a política de austeridade se revelou insuficiente para equilibrar as contas. Associada a ela, foi necessário tirar do papel um audacioso projeto que permitisse ao Figueirense se valer de instrumentos jurídicos para estancar a sangria representada por penhoras e bloqueios quase que diários. Juntou-se ao time de trabalho a equipe do escritório de advocacia Galdino & Coelho, com vasta experiência em processos de restruturação de dívidas.

Mesmo com todas as dificuldades impostas por uma situação financeira caótica e pela pandemia da covid-19, o Figueirense conseguiu preparar e ajuizar uma medida cautelar em março deste ano. Com isso, foi determinada a suspensão da exigibilidade das dívidas cíveis e trabalhistas, o que proporcionou o fôlego necessário para que o projeto de restruturação pudesse continuar.

Em maio, foi apresentado pedido de recuperação extrajudicial e a sua versão preliminar, já contando com a adesão de credores titulares de pelo menos um terço dos créditos submetidos ao procedimento, em cada uma das classes. Graças a esta medida, o Figueirense conseguiu prazo adicional de suspensão da exigibilidade das dívidas para negociar com os demais credores, tendo apresentado versão definitiva do Plano de Recuperação e atingido o quórum de credores que representavam mais da metade dos créditos em cada classe, em 30 de julho deste ano.

A partir daí o processo seguiu seus trâmites naturais, com intimação dos credores, apresentação de impugnações, análises do Administrador Judicial nomeado pelo Juízo, até que enfim chegasse o momento da homologação do Plano, o que felizmente ocorreu no dia de hoje, 17 de dezembro de 2021.

O principal efeito da homologação do Plano de Recuperação do Figueirense é equacionar a sua dívida junto aos credores trabalhistas e cíveis. Todos os credores do Figueirense, mesmo os que não aderiram expressamente ao Plano ou com ele não concordaram por qualquer razão, ficam submetidos às suas regras, prazos e formas de pagamento. Do ponto de vista prático, a dívida que tinha exigibilidade imediata agora será paga em condições diferenciadas. Após um ano de carência, haverá um alongamento dos prazos de pagamento – 10 anos para as dívidas trabalhistas e 15 anos para as dívidas cíveis.

O equacionamento da dívida e a maior previsibilidade do fluxo de caixa fazem com que o Figueirense, hoje, seja um clube mais bem preparado para enfrentar os desafios que estão por vir.

Nas palavras do Dr. Filipe Guimarães, sócio do escritório de advocacia que está à frente do caso: “A recuperação do Figueirense é inegavelmente um caso de sucesso. Não apenas por ser a primeira recuperação extrajudicial envolvendo um clube de futebol no Brasil, mas porque a diretoria teve a sabedoria de aliar coragem e prudência na tomada de decisões. Ao fazer uso de novos instrumentos legais previstos na Lei nº 14.112/2021, o clube conseguiu alongar uma dívida que sufocava a operação no dia a dia. Mais importante do que o desfecho do processo em si é compreender a recuperação extrajudicial como etapa de um projeto muito maior, que é conferir estabilidade às finanças do clube e criar um ambiente de segurança para novas parcerias e investimentos.

O Presidente Norton Flores Boppré sintetizou o sentimento da diretoria do Figueirense: “A restruturação do endividamento é uma questão sensível para os clubes de futebol do país. O Figueirense saiu na frente e mostrou novamente seu pioneirismo, que está no seu DNA. Outros clubes irão precisar readequar sua estrutura de capital e o Figueirense mostrou que é possível. Foi um trabalho sério, correto e agora colhe seus primeiros frutos. Estamos prontos e animados para os próximos desafios. Nossa meta é recolocar o Figueirense entre as principais forças do futebol brasileiro e a partir daí alçar voos ainda maiores. Queremos entregar ao torcedor um clube financeiramente equilibrado e um time competitivo. Não tenho dúvidas de que ainda há muito a percorrer, mas estamos no caminho certo.

O projeto foi estruturado e conduzido de maneira séria, transparente e democrática. Neste contexto, é importante registrar a importância do trabalho desenvolvido também pelos colaboradores do Figueirense, incansáveis na busca pelo melhor resultado e que, com muito sacrifício, ajudaram o clube no seu momento mais difícil, numa verdadeira prova de amor ao clube.

Rumo aos novos desafios! Vida longa ao Figueirense!

2 respostas

  1. Se no passado recente tínhamos vergonha dos dirigentes que se apropriaram do clube para destrui-lo é se locupletarem de seu patrimônio, arrasando aquilo que foi conquistado com muita luta, hoje temos orgulho de dizer que o clube protegido pelos verdadeiros alvinegros que certamente conduzirão suas cores aos melhores dias. Brava gente alvinegra!

  2. O primeiro passo da recuperacao chegou, agora e seguir os proximos passos para colocar o Figueirense de volta a serie A. E o que todos nos queremos. Parabens a diretoria pelos seus esforcos, Wilfredo, Lodetti e Elephant, nunca mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *