Figueirense FC - Site Oficial
Náutico

x

Figueirense
Campeonato Brasileiro -  
14/07/24 -  
Estádio dos Aflitos

Aconteceu na noite da última quarta-feira (07), no Espaço Memorial do Estádio Orlando Scarpelli, a Sessão Solene do Conselho Deliberativo do Figueirense FC, comemorativa aos 102 anos do Time do Povo.

Na ocasião, foram homenageados jogadores, membros da comissão técnica e dirigentes participantes do inesquecível “Esquadrão de Aço”, que deu ao Figueirense o direito de representar Santa Catarina no Campeonato Nacional de Clube de Futebol Profissional no ano de 1973, tornando-o o primeiro clube catarinense a participar desta competição, que hoje equivaleria à Série A do Campeonato Brasileiro.

Foto: Patrick Floriani/FFC

Fizeram parte do grupo de atletas do Figueirense, que levou a melhor sobre o rival Avaí, com vitória alvinegra por 1×0 no Estádio Adolfo Konder, e empate por 0x0 no Estádio Dr. Hercílio Luz, em Itajaí:

Da Costa, Pinga, Jaílson, Moenda, Casagrande, Adairton, Moacir, Caco, Tião Marino, Luiz Everton, Land, Quincas e Almir; Angelo Zabot, Valdir, Carlos Roberto, Didi, Artur, Armando, Eliseu, Feijão, Neilor, Noroel e Severo.
O treinador era Jorge Ferreira. O preparador físico foi Iberê Rosa. O presidente era José Mauro da Costa Ortiga.

Muitos já não estão entre nós, outros não puderam comparecer.

Foram homenageados presencialmente: Iberê Rosa, Almir Gil, Carlos Roberto, o capitão Jaílson, Caco, Luis Everton, Feijão, Land, Tião Marino (autor do gol que classificou o alvinegro) e o goleiro Da Costa.

A cerimônia foi recheada de emoção. No seu discurso, Norton Flores Boppré, presidente do Conselho Deliberativo do FFC, falou sobre todo o trabalho já realizado desde que este grupo gestor retornou ao clube, e tentou sintetizar em palavras, o que é ser Figueirense. O momento foi de muita emoção e de sentimentos a flor da pele. Logo na sequência, José Tadeu da Cruz, presidente do Figueirense FC, projetou o futuro do alvinegro, com um discurso objetivo, mas também com demonstração de amor e unidade em prol de um Figueirense forte. E para fechar os discursos diretivos, Paulo Prisco Paraíso, presidente da Figueirense FC SAF, falou sobre o sentimento de gratidão em poder homenagear grandes ídolos alvinegros, e também sobre o trabalho de recuperação do Figueirense.

 

Merece destaque, a participação do jornalista Roberto Alves, que no seu emocionante discurso, representando toda a imprensa catarinense, relembrou fatos e curiosidades sobre a conquista alvinegra, arrancando sorrisos e lágrimas dos homenageados.

O capitão Jaílson Colombi, discursou em nome de todo os atletas, membros da comissão técnica e dirigentes, falando sobre o grande feito de 1973, relembrando a união e entrega de todos, e agradecendo pelas homenagens.

E para finalizar, quem também fez o uso da palavra foi o remador Odilon Maia Martins, de 94 anos, que lembrou a grande participação de remadores do Clube de Regatas Aldo Luz na história do Figueirense.

 

 

 

Logo após as homenagens, todos participaram de um coquetel, onde puderam contemplar a presença de alguns dos maiores ídolos da história de 102 anos do Time do Povo. Uma noite que certamente ficará para sempre na memória dos mais apaixonados alvinegros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *